Lisboa Natura 2020: já falta pouco para o primeiro Festival Ecovídeo de Lisboa – Lisboa Green Capital 2020
-Festivais

Lisboa Natura 2020: já falta pouco para o primeiro Festival Ecovídeo de Lisboa

É já na próxima semana que o Festival Natura 2020 invade a Estufa Fria para mostrar os olhares mais criativos no que toca à Natureza e ao ambiente natural de Lisboa. Serão quatro dias repletos de talento, num dos espaços mais bonitos da cidade.

«(…) a seleção de vídeos apresentados é uma montra valiosa, um tubo de ensaio, para olhar e refletir a cidade, retratada num espaço de tempo que comportou o antes e o durante do período de confinamento, forçado pela pandemia. (…)»

Fernando Carrilho, coordenador da Videoteca do Arquivo Municipal de Lisboa

A Estufa-Fria abre portas, nos fins de semana de 18-19 e 25-26 de setembro para receber um conjunto de filmes que prometem promover a reflexão, discussão e disseminação de temáticas ambientais e animais especificamente relacionadas com a nossa capital.

Depois de quase cinco meses a receber dezenas de candidaturas, o processo de seleção não foi fácil, mas está concluído e reúne um conjunto de filmes que nos mostram os diferentes olhares sobre a Natureza e o ambiente natural da Capital Verde Europeia 2020. 

Assim vai ser possível ver as mais diferentes ideias destes jovens criativos sobre a Natureza da nossa cidade, o que pensaram para este espaço e a sua materialização em retratos reais ou imaginados.

Os 18 filmes que serão apresentados ao longo dos quatro dias do festival foram selecionados por um júri composto por especialistas nas áreas do cinema e do ambiente – Ilda Teresa de Castro, Inês Gil, Paula Craveiro e Teresa Castro.

Vai ser, sem dúvida, um fim de semana repleto de beleza e arte, e estão todos convidados, seja para assistir no conforto do sofá, pois os vídeos passarão em streaming, via canais municipais, ou presencialmente, com lugares limitados e sujeitos a marcação prévia através do e-mail: arquivomunicipal@cm-lisboa.pt .

As obras selecionadas irão constituir um arquivo ecovideográfico, em formato digital, da Câmara Municipal de Lisboa e o grande vencedor receberá um prémio Colorfoto e Dechatlon. A cerimónia de entrega de prémios e menções honrosas terá lugar no último dia do festival – 26 de setembro, pelas 21 horas.

«(…) O projeto defende o potencial deste extraordinário media a que chamamos filme, ao serviço de histórias originais que transmitam uma perceção atual da realidade, crítica, interventiva e independente, por contraponto com as práticas de produção que seguem o modelo televisivo, orientadas por interesses de mercado e de audiências. Sendo que as obras participantes irão constituir um Arquivo Ecovideográfico em plataforma digital da Câmara Municipal de Lisboa, votamos a que se constituam como testemunho do passado-presente-futuro de uma cultura em transformação e em re-elaboração das suas singularidades. (…)»

Ilda Castro, programadora do Festival Lisboa Natura 2020

Seleção Oficial

  • Abril em Lisboa, Raquel Montez, 2020, 1´30´´, Portugal – estreia mundial;
  • A tinta esbate-se em forma de onda, Carina Martins, 2016, 10´41´´, Portugal;
  • Estado de emergência, Catarina Lopes, 2020, 1´53´´, Portugal – estreia mundial;
  • Manifestação estudantil pelo clima – com as crianças, Rita Brás e Inês Abreu, 2019, 7´37´´, Portugal – estreia mundial;
  • As coisas que fazemos em jardins, Maria Abrantes, 2020, 15´36´´, Portugal – estreia mundial;
  • Um dia de Lisboa, Sebastião Antunes, António Faria e Helena Gökotta, 2019, 4´10´´, Portugal;
  • Lisboa, saudade, luz, Eduardo Correia Pinto, 2018, 2´15´´, Portugal;
  • Sounds of silence, Mohammed Boubezari, 2020, 11´, Portugal – estreia mundial;
  • Sovereign condition, João Bispo, 2019, 6´35´´, Portugal – estreia mundial;
  • Manifestação estudantil pelo clima – com os jovens, Rita Brás e Inês Abreu, 2019, 6´41´´, Portugal – estreia mundial;
  • Atravessar a paisagem: Lisboa de Tuk-tuk, Museu da Paisagem, 2019, 02´03´´, Portugal;
  • Depois da pandemia, João Esteves, 2020, 02´, Portugal – estreia mundial;
  • Mata: Quinta das Conchas e dos Lilases, Miguel Cortes Costa, 2020, 5´26´´, Portugal – estreia mundial;
  • Indignação, Mário Pereira, 2017, 2´28´´, Portugal – estreia mundial;
  • Fall Out, Catarina Marto & Raquel Pedro, 2019, 1´59´´, Portugal;
  • Próxima paragem, Florence (Weyne) Robert, 2019, 7´30´´, Portugal;
  • Stones on the path, Diogo Pessoa de Andrade, 2017, 01´, Portugal;
  • Cap I incorporação: estudo gereográfico sobre o reconhecimento de um lugar vivo, Pedro Ramos – Ordem do O – Associação Cultural, 2018, 8´14´´, Portugal – estreia mundial

A programação completa está disponível na página do Arquivo Municipal de Lisboa.

Noticia atualizada a 14 de setembro.