Economia Linear vs. Economia Circular – Lisboa Green Capital 2020
-Notícias

Economia Linear vs. Economia Circular

Todos os anos são produzidos cerca 2,5 milhões de toneladas de lixo na União Europeia. Com isso em vista, a EU, em 2015, adotou o Plano de Ação para a Economia Circular que visa o crescimento sustentável da União Europeia e estimula a transição da Europa para uma economia circular.

O plano de ação estabelece 54 medidas para “fechar” o ciclo de vida dos produtos, do fabrico e consumo à gestão dos resíduos e ao mercado das matérias-primas secundárias, e identifica cinco setores prioritários para acelerar a transição ao longo das respetivas cadeias de valor (plásticos, resíduos alimentares, matérias-primas essenciais, construção e demolição, biomassa e materiais de base biológica). É atribuída uma grande importância ao estabelecimento de fundamentos sólidos sobre os quais possam prosperar os investimentos e a inovação.

Economia Linear:

É uma forma de organização da sociedade baseada na extração crescente dos recursos naturais. Os produtos feitos a partir desses recursos são utilizados até serem descartados como resíduos. Assim, nesta forma de economia, a maximização do valor dos produtos deve-se à maior quantidade de extração e produção.

Este tipo de economia é considerada uma forma de organização económica inviável pois, a longo prazo, os recursos existentes no planeta serão insuficientes para a manutenção deste modelo económico.

Desvantagens da economia linear:
– Incerteza sobre a disponibilidade dos recursos do planeta para a manutenção do sistema económico;
– Dependência dos países para as matérias-primas necessárias;
– Grande impacto no ambiente – a extração e a utilização destas matérias-primas aumentam o consumo de energia e as emissões de CO2
– Volatilidade dos preços – a flutuação dos commodities ( produtos de qualidade e características uniformes, que não são diferenciados de acordo com quem os produziu ou da sua origem. O seu preço é determinado pela oferta e procura internacional) leva ao aumento dos preços médios. 
– Redução da vida útil do produto.

Economia Circular

Este tipo de economia assume que todos os produtos e serviços têm origem em fatores da natureza, e que, no final de vida útil, retomam mais uma vez à natureza através de resíduos ou através de outras formas com menor impacto ambiental.

É um modelo de produção e consumo que envolve a partilha, reutilização, reparação e reciclagem de materiais e produtos existentes, aumentando o ciclo de longevidade dos mesmos.

Numa economia circular, o valor dos produtos e materiais é mantido durante o maior tempo possível, a produção de resíduos e a utilização de recursos reduzem-se ao mínimo e, quando os produtos atingem o final da sua vida útil, os recursos mantêm-se na economia para serem reutilizados e voltarem a gerar valor.

Benefícios da economia circular:
– Ajuda no combate às alterações climáticas;
– Conserva o capital natural;
– Diminui as emissões de carbono;
– Promove a eco inovação;
– Reduz a dependência dos combustíveis fósseis;
– Minimiza a produção de resíduos;
– Cria novas oportunidades e modelos de negócio, produtos e serviços;
– Minimiza a produção de resíduos;
– Aumento da competitividade;
– Cria novos empregos;
– Produtos mais duradouros.

Crédito Imagem: Parlamento Europeu