Dietas à base de plantas ajudam a conservar e restaurar a natureza – Lisboa Green Capital 2020
-Notícias

Dietas à base de plantas ajudam a conservar e restaurar a natureza

A organização World Wildlife Fund – WWF – divulgou na sexta-feira, dia 9 de outubro, um relatório com os detalhes de como o mundo poderá responder às necessidades nutricionais de todos os habitantes sem destruir o planeta.

O relatório concentra-se primordialmente nas dietas à base de plantas, como alimentos naturais e derivados de plantas como legumes, frutos e cereais integrais, e explora a possibilidade de alimentar toda a população mundial enquanto se conserva a natureza e restaura os ecossistemas.

“O poder restaurador das dietas baseadas no planeta”, nome dado ao relatório, explora a possibilidade de reduzir a ingestão de carne e lacticínios em prol das plantas. O relatório foca-se também em zonas especificas do planeta e oferece soluções personalizadas com base em cada país.

Apesar do relatório ter sido elaborado com um foco global, foi dada especial atenção aos Estados Unidos da América devido ao facto de o seu estilo de vida e opções alimentares tornarem-no num dos países mais poluentes. Desta forma, o documento tenta apresentar algumas soluções de forma a que os Estados Unidos possam fazer a sua parte na preservação do planeta, através da mudança de hábitos alimentares.

“O sistema alimentar dos EUA é uma das alavancas mais importantes que temos para resolver as crises de clima e biodiversidade, e o que comemos e quanto consumimos é importante. Mesmo mudanças simples nas nossas dietas, como comer de acordo com as Diretrizes Dietéticas Nacionais, levar-nos-iam a resultados positivos para a saúde humana e o meio ambiente”, referiu Melissa D. Ho, vice-presidente sénior da água doce e alimentos do WWF.

“Se for possível combinar estes esforços com outros – uma mudança para sistemas agrícolas regenerativos e resilientes, uma cadeia de abastecimento com menos desperdício e políticas que incentivem a produção de alimentos com nutrição humana e saúde planetária na linha de frente – veremos impactos positivos para as pessoas e para o planeta em escala global.”

A WWF lançou ainda uma ferramenta online que permite aos utilizadores calcular o impacto que as suas mudanças na dieta alimentar teriam no planeta.

Segundo Brent Loken, cientista da WWF, a população atual está a tornar-se um fardo para os nossos recursos limitados, contudo o investigador acredita que é possível alimentar a população mundial sem prejudicar os ecossistemas.

“Olhando para o nosso sistema alimentar hoje e vendo fome, desigualdade e devastação ambiental, podemos pensar que é simplesmente impossível alimentar 8-10 mil milhões de pessoas sem destruir o planeta”, explicou Loken.

“Mas não é esse o caso; na verdade, o oposto é verdadeiro. Não só podemos alimentar toda a população da Terra, como podemos fazê-lo de uma forma que melhore a saúde humana globalmente e permita que a natureza recupere dos danos que causamos.”