Como navegar na internet sem aumentar a sua pegada ecológica – Lisboa Green Capital 2020
-Notícias

Como navegar na internet sem aumentar a sua pegada ecológica

Tempo médio de leitura: 4 minutos

Numa altura em que, devido à pandemia que assola o mundo, somos obrigados a adaptar os nossos hábitos e a passar mais tempo em casa o consumo de internet aumenta exponencialmente, seja com atividades como o teletrabalho, telescola, compras online, jogos ou séries online. Mas sabia que estas ações também contribuem para o aumento de CO2 emitido para a atmosfera?

De acordo com os dados, em 2018, as Tecnologias de Informação e Comunicação correspondiam a cerca de 5% a 9% do consumo de eletricidade global. Contudo, os estudos apontam para que este crescimento chegue até 20% em 2030.

Para avaliar os valores destas emissões é necessário considerar todos os processos associados à internet, desde os servidores ao consumidor final. Feitas as contas, o dióxido de carbono (CO2) emitido num dia em que se realize algumas pesquisas e se envie aproximadamente dez emails de um megabyte irá transformar-se, ao final de um mês, num total de nove quilos de CO2 enviados para a atmosfera.

Contudo não são só más notícias, o aspeto positivo é que existem várias medidas que podemos, e devemos, adotar para tornar o uso que fazemos da internet mais eficiente e, deste modo, não aumentar em demasia a nossa pegada ecológica.

O que se pode fazer em relação em e-mails:

  • Escolher enviar hiperligações ao invés de anexos;

  • Se for impossível de fugir aos anexos, a melhor opção é tentar enviar anexos com menor tamanho, reduzindo, por exemplo, a resolução das imagens;

  • Apagar aquele e-mail mais antigo e que já não é necessário é outra pequena grande ajuda, assim como, anular a subscrição de newsletters que deixaram de ter pertinência.

Relativamente as pesquisas:

  • Saber o endereço do site que queremos visitar e colocá-lo diretamente, em vez de passar pelo motor de pesquisa, ajuda nesta missão de diminuir as emissões;

  • Assim como utilizar ferramentas e atalhos de forma a reduzir o número de páginas sugeridas, otimizando, desta forma, o tempo online.

Com os telemóveis e os tablets as regras são similares: apagar as aplicações que já não são necessárias e bloquear as que se encontram a funcionar em segundo plano.

Por fim, desligar todos os aparelhos eletrónicos quando não estão em utilização é essencial para que não continuem a consumir mais energia.

Já sabe, nesta altura é-nos pedido que fiquemos em casa, sempre que for possível, mas vamos ficar em casa de uma forma mais sustentável.